segunda-feira, 10 de março de 2008

Enquanto isso, na sala de justiça...

Fazer o programa Disufão do Rock todos os sábados, ao vivo e sozinho, é uma tarefa de herói. Não digo que seja uma das piores coisas do mundo, pois facilmente posso listar uma série de coisas muito mais fodas do que apresentar o programa all alone. Levar choque em televisão velha e ir ao dentista me dão muito mais pavor do que sentar sozinho no estudio, só pra ficar em exemplos corriqueiros. Mas reafirmo: é coisa de Herói.
E sabe porque? Por quê tem um monte de gente em casa ouvindo, religiosamente, esperando receber a benção final do padre pra poder pecar logo depois ao som de um delicioso rock´n´roll. E não da pra marcar bobeira. Tem que levar tudo ali, redondinho, e fazer as alterações de roteiro de acordo com os pedidos que vão surgindo.

Sabado passado tive a feliz visita do meu amigo Curupira, que chegou pra falar de Luthieria no meio de um especial The Kinks e acabou por apresentar o som de uma banda joinvilense que tinha tudo a ver com o objeto do programa. Tudo sem ensaio. E tem que ficar perfeito também. Mas pena que não fica. A gente se empolga e quando vai ler os textos que prepara com tanto zelo, acaba tropeçando nas palavras e isso no Rádio não pode. Tem que falar sem tropeçar, sem enrolar a lingua. Mas vai fazer isso sozinho, sem ensaio, com mudanças de roteiro e com umas latinhas de cerveja na cabeça. É coisa de Herói.

Mas aconteceu também que, devido ao calor intenso, os retrnasmissores da rádio Difusora 1340 Khz, que ficam lá no bairro Passa Três, perto do Horse del Fuego, quase entraram em colapso por superaquecimento. Por fim o nosso amigo Gari, que é dono da Rádio e vez por outra faz a operação de audio pra gente, teve que sair às pressas e percorrer uns 10 km pra resolver o problema antes que a transmissão saisse do ar e caisse por terra. Acabei aprendendo a operar a mesa de audio e fazer a locução, lendo meio bebado, com improvisos e sem ensaio, e tendo que atender o telefone e anotar recados. Definitivamente é coisa de Herói!

Em tempo: Numa proxima ocasião estaremos chamando o Curipira, vulgo Fernando, pra conversar com a gente sobre Industria Artesanal de Cervejas.

Maravilha!

3 comentários:

Glauber disse...

Pobrezinho...

Amyitis disse...

Xóxi, vc é meu herói

Zaratustra disse...

mas tem ficado bom
não vi nenhum programa de rock melhor na região.